sexta-feira, 22 de abril de 2011

Rio

Se você não tiver mais nada para fazer...Então vá ao cinema assistir ao mais novo filme do brasileiro Carlos Saldanha : Rio. Sim, ele é o co-diretor de A Era do Gelo e diretor de A Era do Gelo 2 e 3" e por causa disso você já pode perceber que irá se deparar com uma trama de bichinhos em 3D engraçadinhos que ficam cantarolando e pulando para cá e para lá.
Por mais bem produzido que seja, Rio não passa de uma figura da cidade do Rio de Janeiro mais do que estereotipada : o carnaval, o fanatismo pelo futebol, a bunda enorme das mulheres, além dos macaquinhos que estão presentes em todos os filmes estrangeiros referentes ao Brasil. Tá legal, ele também mostra o contrabando de animais exóticos para fora do país, e só.
A história fala sobre uma arara azul que foi retirada da floresta por contrabandistas ainda quando pequena e levada para os Estados Unidos, mais exatamente para o estado de Minnesota, um habitat completamente diferente ao que animalzinho está acostumado.
Lá ele é adotado por Linda, uma garotinha americana, que lhe dá o nome de Blu. Após alguns anos Linda recebe a visita de um cientista brasileiro atrapalhado - Túlio- em sua livraria. Este pede-lhe para levar Blu até o Rio de Janeiro com o objetivo de acasalar, uma vez que sua espécie está se extinguindo e ele é o último macho dela. No Brasil, Blu faz amizade com pássaros maluquinhos de rua, no entanto, seu relacionamento inicial com Jade, de sua mesma espécie e a fêmea com quem ele deveria copular, é meio conturbado. Jade e Blu são raptados por contrabandistas e é ai que o filme realmente começa e que Blu percebe o quanto é desvantajoso não saber voar (sim, ele nunca aprendeu).

Cheia de encontros e desencontros, músicas, dança, muitas piadas sem graça (algumas engraçadas também), gírias tipicamente cariocas e muito (e quando digo "muito" realmente não estou exagerando) carnaval é a saga do simpático passarinho Blu, que apesar de previsível (e digamos que fraca se comparada a outras do gênero, como por exemplo, a própria A Era do Gelo) vale pelo bom trabalho gráfico que foi feito mostrando quase que fielmente os cartões postais do Rio.

4 comentários:

Antenado disse...

Eu penso que o objetivo de qualquer pessoa que vá assistir a esse filme, deve ser o de se divertir, pois se for para achar erros ou ficar criticando as mensagens que são passadas do nosso país para o mundo, é melhor nem ir ao cinema.

Taíza Gama disse...

Esse filme é realmente lindo!
Parabéns pelo blog!

http://nos4.wordpress.com

Fabíola Berle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabíola Berle disse...

Existem diversas formas de se divertir e ir ao cinema, inclusive, é uma destas formas. Entretanto, cinema não é só entretenimento. É também um lugar para refletir sobre o mundo que nos cerca. Por isso, acredito que criticar, apontar os pontos negativos de uma produção como esta, seja uma maneira de melhorar cada vez mais o que está sendo disponibilizado para as pessoas. Agora você deve estar pensando: "Ah! Essa maluca tá querendo dizer que o próprio diretor irá ler esta crítica e por causa dela modificará n coisas em seus próximos filmes"; não, claro que não é isto o que quero dizer. O que quero dizer é que com reflexão nós tornamos as nossas ações futuras muito melhores. E sob meu ponto de vista o diretor deveria SIM ter retrato outros temas existentes no Brasil, uma vez que ele é brasileiro e que por esta razão tem mais do que a obrigação de ser um porta-voz não-estereotipado de nosso país.